sábado, junho 20, 2009

Fora daqui

Alguns brasileiros têm um apego incondicional pelo Brasil; só sairiam daqui amarrados e voltariam correndo à primeira oportunidade. As justificativas para a ligação são mil, e vão além do carnaval e do futebol: o clima é ameno, as mulheres são bonitas, o povo é hospitaleiro, a natureza é das mais belas, entre vários etceteras. Tudo isso é bem real, mas existem outras verdades.

Desde muito jovenzinha tenho vontade de sair do país. E não para viver a baboseira do sonho americano nos filmes de Hollywood: casas sem muros, sucrilhos no café-da-manhã (com ovos e bacon), jornal diário jogado pelo entregador na porta, piquenique... Sempre me valeu mais a capacidade da experimentação, o conhecimento novo das culturas, outros idiomas, outras gentes. Minha mãe, volta e meia, pergunta se ainda penso nisso ou já matei o sonho. Como acredito que pessoas não matam sonhos, eles é que são meio suicidas, surgisse a oportunidade, eu iria – respondo.

E iria mesmo. Minha vontade é de, sobretudo, conhecer e habitar um país razoavelmente ordenado: politica, social, cultural, educacionalmente. Porque, vejam bem, improviso cansa e o ‘jeitinho brasileiro’ para as relações entre coisas e pessoas enjoa. Às vezes tenho a impressão de que moro em um lugar onde tudo é remendado e funciona – como dizemos os nordestinos – na base da gambiarra. Os presidentes da República, do Senado, das Câmaras, das Assembleias Legislativas, os gestores de toda instância, parecem grandes brincalhões com os assuntos mais sérios da Nação. Sair do Brasil nunca soou feito uma tentativa de fuga a minha própria realidade (até porque posso ser muito mal recebida em solo alheio), mas como a certeza, embasada no conhecimento prático e diário, de que há vida inteligente na Terra.

É, pode ser que um dia vá morar mesmo num país menos tupiniquim que o nosso. Sentirei falta de algumas pessoas, coisas, sensações, lugares, enfim. Haverá ainda o dito popular que dirá ‘o bom filho a casa torna’ para, quem sabe, me tentar. Caso eu não volte, espero que levem em consideração a possibilidade da minha pátria amada não ter sido a propagada mãe gentil. Caso eu nem vá, foi mais um daqueles sonhos que se suicidou e não pariu.


Isolda diz: O vídeo postado na barra lateral foi retirado do Blog do Josias e é um recorte criativo da semana que passou. Recomendo a todos que vejam! Ah, a enquete ainda está, virtualmente, de pé. Um descanso de domingo 'daqueles'.

7 comentários:

Clauderlan Vilela disse...

Concordo com você. Aliás, "um país razoavelmente ordenado: politica, social, cultural, educacionalmente" é sempre um atrativo para quem enxerga além das inebriantes conversas das autoridades brasileiras. A propósito, recomendo o documentário "Sicko - $O$ Saúde", de Michael Moore, onde uma realidade parecida e outra bem diferente é vista. No mais, entre sonhos, angústias e algumas alegrias, continuemos...
...
Ah, qualquer dia passa lá em casa (meu blog - Reflexões de um olhar): http://coisasdesonhador.blogspot.com

julio onofre disse...

Rapaz eu, como já conversamos, penso um pouco diferente. Não tenho a mínima vontade de sair dessa rebordó, a não ser para conhecer as pirâmides do egito, um safari na áfrica. Enfim, essas coisas. Mas fique a vontade. Ah só não esqueça de deixar as contas pagas. Abraços mei amor.

Marcos Marabá disse...

Viver um pouco ou respirar outras culturas é muito interessante para nossa bagagem de conhecimento, mas para mim, morar em outro país me tornaria um peixe fora d'água. Sem parecer um discurso utópico, bem que poderíamos fazer de nossas ações diárias um começo para a melhoria de nosso país. Entre o ideal e o real, ainda estamos aqui...

Janine disse...

Isolda! Adoreia a casa no do mala jornalítica! a sessão de frases da semana lá no finaltb tá Xou com xis maiúsculo! parabéns mesmo!

Anônimo disse...

MENINA ISOLDA,
FORTE, CORAJOSA,
MARAVILHOSA,
BRAVA E DECIDIDA,
TEUS SONHOS CLAMAM
POR REALIDADE.
FELICIDADE,
MORENA QUERIDA!

E QUANDO, UM DIA,
EM PAZ OU NA MARRA,
A "GAMBIARRA"
GANHAR SÉRIO ASTRAL,
E O BRINCALHÕES
PENSAREM NO POVO,
VOCÊ, DE NOVO,
VOLTA AO CHÃO NATAL!

Rafael Belo disse...

Sempre quis sair do país com o mesmo intuito: conhecimento. Trabalhar e conhecer outras culturas e costumes. Sonho também em ser jornalista em várias faces do mundo... Quem SABE VOLTAR DEPOIS hehehe beijos IS. Apareça

Mário disse...

Ainda o diploma:

Blog do Maikel Marques:

http://www.maikelmarques.com/post.php?id=1175

Perguntas e respostas sobre o diploma.