terça-feira, junho 09, 2009

Quem tem olho é rei?


Deu na Gazetaweb: em Caraíbas, Agreste alagoano, cabrito nasceu com um olho apenas. Mas existem coisas mais estranhas acontecendo neste estado. Uma delas - mesmo sem o ineditismo da novidade - tem chamado, enfadonhamente, a atenção diária da população: a situação política.

E eu poderia falar dos governos estadual, municipal, escancarar baús fechados de representantes do povo de Alagoas em Brasília, enfim. Porém, prefiro ficar por aqui mesmo, atada ao que acontece no centro da capital, Maceió, a vista de todas e todos os que passam rumo ao comércio - para mais um dia de trabalho, compras ou pagamento de contas, como manda a cartilha do bom cidadão.

Mas assim como é fácil ser um bom alagoano, é difícil "engolir" maus alagoanos, sobretudo no poder. As pessoas nas ruas, mesmo as iletradas, entendem o que está acontecendo na Assembleia Legislativa - desde antes da Operação Taturana ter dado nome aos bois que desviaram quase R$ 300 milhões dos cofres públicos. Deputados afastados, volta e meia, anunciam um 'voltar por cima da carne seca', e mais, com todo o respaldo que a lei pode lhes garantir. Suplentes, encorajados pelo próprio temor, também garantem que ficam e - se não há nossa senhora que ajude - apelam para outra lei, que anula a primeira. Afinal, a exemplo do país, em Alagoas também existem as leis que "pegam" e as que não pegam - e entre elas, aquelas que jamais pegam as pessoas certas.

O que eu acho que deveria acontecer - e não acontece - é um movimento organizado vindo do povo, sem siglas para impor ideologias ou nomes registrados em cartórios. Gostaria de ver que pessoas sem envolvimento partidário estão colocando a cara na rua para pedir explicações claras, como a honestidade. Mas o povo se minimiza e acredita que só adquire poder de quatro em quatro anos. Tem dois olhos para ver e uma facilidade imensa de aceitar, mesmo aquilo o que discorda absolutamente.


Foto: Catedral de Maceió através da Assembleia Legislativa.
O crédito é do fotógrafo Marcelo Albuquerque e do seu olhar
diferenciado sobre as coisas. Ele tem trabalhos belíssimos que
podem ser vistos aqui.


(Original publicado em 11.03.009)

Nenhum comentário: