quarta-feira, setembro 30, 2009

Cinco falácias sobre o mercado de trabalho (para jornalistas desempregados)

1. Os bons têm sempre espaço;
2. As portas que se abrem nunca se fecham;
3. Seu trabalho será lembrado pelas pessoas;
4. Talento é o mais importante;
5. Qualquer coisa, a gente te liga!

E cinco argumentos opositores:

1. Já reparou na quantidade de maus profissionais empregados?;
2. Tudo que abre... fecha!;
3. Não há nada que o tempo não apague;
4. Com uma boa indicação nem precisa levar o Curriculum Vitae;
5. Espere sentado. 

Bem, vou terminar o post com uma frase de impacto: o importante é não desistir. Sem a mínima garantia de que ela não seja também falaciosa.

 Imagem: Mário Sousa.

6 comentários:

Jamylle Bezerra disse...

Concordo plenamente Isolda.

Sem tirar nem pôr.

Beijo

Fabiana disse...

Complicado não é? E em Alagoas então, o desemprego está pior.

Saudades.

Bjs

Ricardo Santos disse...

e agora?
e eu que estou pensando de quando acabar o meu curso de Gestão de Marketing, em fazer jornalismo!

Fernanda Con'Andra disse...

Concordo. Só quem ficou desempregado sabe o que é ficar esperando uma ligação.

Clauderlan Vilela disse...

E agora que só precisa ser "desenrolado", então...
É a era do "QI".
...
[Mas vamos lá, pensemos positivo. Eu quero ouvir cada um repetindo comigo: "Sou brasileiro e não desisto nunca".]
...
Eita, dureza!!!
...
Quem sabe um dia a gente muda isso? :(

Adriana Calábria disse...

Isolda

Pelo visto Assistentes Sociais e Jornalistas passam pelas mesmas agruras!

Cada um desses argumentos refletem tudo o que estou passando. Passei (e estou passando) por casa uma das cinco situações!


Espero que as coisas já tenham melhorado pra vc.

Abraços!